A cidade de Penafiel vai transformar-se na cidade de Manuel Alegre de 21 a 27 de outubro. Poeta da liberdade, da resistência, mas também clássico, Manuel Alegre é o homenageado este ano do Festival Literário Escritaria, em Penafiel.

Os seus primeiros livros, “Praça da Canção” e “Canto e as Armas”, são duas obras reconhecidas por terem contribuído para o derrube da ditadura salazarista, mas Alegre é também, muito provavelmente, o Poeta que mais poemas teve musicados e interpretados por, entre outros, Manuel Freire, Carlos do Carmo, Francisco Fanhais, Adriano Correia de Oliveira, Zeca Afonso, Amália Rodrigues, etc.

Depois de Urbano Tavares Rodrigues, José Saramago, Agustina Bessa-Luís, Mia Couto, António Lobo Antunes, Mário de Carvalho, Lídia Jorge, Mário Cláudio, Alice Vieira, Miguel Sousa Tavares, Pepetela, este ano é dedicado a um autor ligado ao universo da poesia, Manuel Alegre. Escritaria é o único festival literário, que se dedica a homenagear um escritor vivo de língua portuguesa e onde a cidade se transforma por uns dias na sua própria cidade.

Durante os dias da Escritaria, a cidade transforma-se visualmente para quem a visita ou circula nas ruas, onde é impossível não “tropeçar” na obra e na vida do autor homenageado, com dezenas de iniciativas desde teatro, animação de rua, exposições, apresentação de livros, música e muito mais. Na edição de 2019 haverá novidades, com novos projetos para divulgar a obra do escritor homenageado por entre jovens e adultos, e até um projeto ligado à literacia e à vertente social, para descobrir brevemente.

Vários atores vão interpretar em vários cantos e recantos da cidade textos de Manuel Alegre, ao mesmo tempo que as fachadas dos edifícios e muitos outros locais da cidade vão exibir a sua obra e torná-la até “portátil” em caixas de leitura, sign floors, e muitos outros objetos, que com textos de Alegre podem ser levados para casa e partilhados com família e amigos.

O Poeta irá ainda, tal como sucedeu com todo os autores anteriormente homenageados, deixar uma frase que marcará a cidade, fazendo também com que Penafiel continue a ser, cada vez mais, uma cidade “contaminada” pela literatura.