Um homem de 68 anos esteve em protesto esta quinta feira, frente ao balcão de uma instituição bancária na cidade de Paços de Ferreira. José Maria Ribeiro, de Ferreira, Paços de Ferreira, afirma ter sido lesado em 16 mil euros e pede esclarecimentos.

“Tinha 19 mil euros na minha conta há muitos anos e desde 2010 que começou a faltar dinheiro e agora só tenho três mil”, explicou ao Jornal IMEDIATO.

Segundo o homem, o dinheiro que possuía estava aplicado em obrigações. “Quando os bancos começaram a ter problemas pedi para o levantar, mas o meu gestor disse que não o fizesse, que quando aparecesse um produto bom para mim que o aplicavam. Desde aí começou a faltar dinheiro. Ele deve ter feito uma aplicação de risco, sem a minha autorização”, frisou.

Quase nove anos passaram sem que José Maria Ribeiro tenha feito uma reclamação formal, ou contratasse um advogado para o defender. “Ainda ia gastar mais dinheiro”, afirmou.

Decidiu vir para a rua, onde empunhou um cartaz e contou, de forma bem audível, o seu protesto. “Vim para as pessoas saberem que fui lesado, que aconteceu uma coisa que não sei explicar”, frisou, não afastando a possibilidade de poder ter assinado alguma coisa que tenha originado esta situação. “Mas se assinei, não sabia o que estava a assinar”.

Agora, José Manuel Ribeiro já pondera procurar um advogado.

Esta atitude de José Manuel Ribeiro – que levou a que a GNR estivesse no local – pode vir a ter consequências legais. O caso que relata e o facto de reconhecer que pode ter assinado algo, sem ter noção do seu conteúdo, deve servir como exemplo.

Nesta notícia, o Jornal IMEDIATO não identifica a instituição bancária, na medida em que ainda não obtivemos uma posição da mesma, não nos competindo julgar a sua responsabilidade e apenas relatar o facto.