O Centro de Interpretação da Escultura Românica (CIER) foi inaugurado no sábado. Para o presidente da Câmara de Penafiel, Antonino de Sousa, é “um equipamento muito importante” por “tudo o que representa” e por promover a vila de Abragão e a região.

O autarca penafidelense, citado em comunicado, também afirmou que o equipamento é “um dos mais modernos centros interpretativos do país”, que vai dar um “grande contributo” para uma melhor compreensão do românico.

“Vai ainda atrair visitantes, pessoas que procuram cultura, natureza e outro tipo de ofertas turísticas, situação que contribui para a economia local de qualquer território. Estamos perante um momento muito importante para a Vila de Abragão e para o Concelho de Penafiel”, considerou.

Já a diretora da Rota do Românico, Rosário Machado, considerou que a inauguração do novo polo foi um “dia muito especial”, ao abrir um espaço que “tem como principal função divulgar o rico património de Abragão” e de toda a região da Rota do Românico.

O CIER tem uma superfície de exposição com cerca de 300 metros quadrados, distribuídos por seis espaços temáticos, num percurso que aproveita as novas tecnologias para transmitir “conhecimentos únicos”.

A ideia para a construção do polo surgiu em 2006, quando foram encontrados, durante obras de arranjo do Centro Cívico de Abragão, cerca de 70 elementos pétreos com decoração românica.

O espaço está aberto de quinta-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, sendo que às terças e quartas-feiras funciona mediante marcação prévia. A entrada é gratuita até setembro.