O Tribunal de Penafiel condenou a 23 anos e seis meses de prisão, o homem que matou a tiro o namorado da ex-companheira, em julho do ano passado, em Alvarenga, Lousada. João Miranda foi ainda condenado por ter tentado matar mulher, a quem agredia e insultava desde que esta decidiu colocar um ponto final na relação que mantinham há mais de uma década.

Para o Tribunal, ficou provado que o homem, conhecido por João “Padeiro” começou a perseguir e ameaçar a companheira Filipa Pinto, em 2017, depois desta ter terminado a relação. Começou a perseguir e a ameaçar a mãe dos seus três filhos menores até descobrir que esta mantinha um relacionamento com Tiago Magalhães.

Entendeu o coletivo de juízes que depois desta descoberta, o homem fez uma emboscada ao casal, quando distribuíam pão em Alvarenga, Lousada, durante a qual disparou um tiro contra a carinha que atingiu Filipa Pinto de raspão e depois outro, contra a cabeça de Tiago Magalhães, após ter retirado o homem do interior da viatura.

João Miranda foi condenado a 23 anos e seis meses de prisão pelos crimes de homicídio, violência doméstica, ofensas à integridade física e detenção de arma proibida, João Miranda foi ainda condenado a pagar de indeminizações cerca de 76 mil euros aos pais de Tiago Magalhães, 32 mil euros a Filipa Pinto e 223 mil euros ao filho menor da vítima mortal, Tiago Magalhães.