Os Castores iniciaram a I Liga 2020/21 com um empate a uma bola frente ao Portimonense. Uma grande penalidade aos 90+8’ podia ter dado os três pontos aos pacenses, mas Douglas Tanque não a conseguiu converter e gorou-se a oportunidade de primeira vitória de sempre “fora”, no jogo de arranque do campeonato.

A formação amarela e verde, a jogar no Algarve, começou melhor o jogo e, aos seis minutos, Douglas Tanque teve a primeira oportunidade de golo.

Contudo, o FC Paços de Ferreira só ficou à frente do marcador já em tempo de descontos, aos 45+2′, quando, na sequência de um pontapé de canto apontado por João Amaral, Marco Baixinho tocou ao de leve na bola e Lucas Possignolo desviou para a própria baliza.

O empate chegou para o Portimonense pouco depois do intervalo, através de um cabeceamento de Fabrício, aos 52 minutos, depois de um livre de Lucas Fernandes.

Até ao apito final, o Paços foi sempre a equipa mais perigosa em campo e Douglas Tanque chegou mesmo a atirar ao poste. As grandes emoções estavam reservadas para o último dos três minutos de descontos dados pela equipa de arbitragem, que, primeiro, assinalou uma grande penalidade contra o FC Paços de Ferreira por uma alegada mão de Lucas Silva na área, lance anulado após consulta do VAR.

O clube pacense lançou-se ao ataque e Lucas Silva foi derrubado na área e, ainda que o árbitro não tenha assinalado, o VAR confirmou, desta vez, a grande penalidade.

Com a bola aos pés, Douglas Tanque teve a chance de colocar os castores em vantagem, mas o guardião do Portimonense adivinhou o lance e impediu o golo. Os algarvios tiveram direito ainda a um livre, que também não conseguiram concretizar.

“Alguma frustração nas hostes pacenses, não pela exibição, mas sim porque os três pontos teriam sido o prémio justo para a melhor equipa em campo”, referiu o clube na sua página.

O FC Paços de Ferreira vai receber, na segunda jornada da I Liga, o Sporting CP no próximo domingo, com jogo marcado para as 18:30.