O presidente do FC Paços de Ferreira, Paulo Meneses, mostrou esta terça-feira preocupação com os prejuízos causados pela ausência de público nas bancadas – e pela desmotivação que causa nos adeptos.

Os Castores vão receber, no domingo, o Sporting CP no Estádio Capital do Móvel e, de acordo com o dirigente, o facto de o jogo acontecer à porta fechada vai causar prejuízos ao clube na ordem dos 100 mil euros.

“Se somar estes 100 mil euros à falta de pagamento de quotas, que renderam no ano passado 160 a 170 mil euros, neste momento posso dizer que estou abaixo dos 10% desse montante”, partilhou o presidente do clube pacense, em entrevista à Antena 1.

E, aos olhos de Paulo Meneses, os “danos” causados pela ausência de público nas bancadas vão além, “desmotivando” os adeptos. “Se a meio do campeonato tivermos público, não sei se há sócios que vão pagar as suas quotas”, contou.

Assim, o dirigente considera que esta situação coloca em causa a sustentabilidade dos clubes, sendo imperativo o regresso às bancadas.

“Eu reclamo nem que sejam 100 adeptos no estádio numa fase inicial, vamos ver como funciona. Se os clubes de futebol tiveram tempos para preparar as suas equipas em tempo recorde, as entidades responsáveis também tiveram esse tempo”, criticou.

ouro e prata